Não Se Entrega

                O dia a dia é melodia que se repete. Em meio à batalha, permanecer talvez não seja dever, mas certamente é salvação. A mão frágil que entrega balas no farol é a mesma que toca, firme, cordas e coração. É espírito que se levanta e carrega, na penumbra, o mundo inteiro em suas costas. É dura e mutável a caminhada, do cantar preguiçoso do galo ao cair violento das noites. Resta somente a resistência àqueles que não se entregam.

_DSC0039.jpg
_DSC0044.jpg