Esperançar

                Os muros não vão se derrubar sozinhos, tampouco vão, de bom grado, se abrir as algemas. O asfalto não vai quebrar por vontade própria: cabe à flor furá-lo. Agir é verbo. Mudar é verbo. Lutar é verbo. Quaisquer que sejam nossas armas, do sangue à poesia, esperar é inconcebível. Não basta a esperança. Devemos esperançar.

_DSC0075.jpg
_DSC0081.jpg